Posts Tagged ‘renováveis’

Greenpeace comemora resultado de leilões de energia

31/08/2010

ONG destaca boa fase dos parques eólicos e ênfase na geração limpa

Da redação 

A organização não-governamental (ONG) Greepeace está satisfeita com os resultados dos leilões de reserva e de fontes alternativas de energia, promovidos nesta quarta e quinta-feira (25 e 26/08). Os certames resultaram na contratação de parques eólicos, usinas a biomassa e pequenas centrais hidrelétricas (PCHs).

“Consolidou-se a boa fase para os parques eólicos”, comentou a associação ambientalista, que também destacou que “as térmicas fósseis, presentes nos leilões anteriores, felizmente ficaram de fora”. Ao final das licitações, foram contratados 1.159,4MWmédios de energia.

“O estado brasileiro vem dando um bom sinal para a indústria de renováveis. Os leilões deste ano reforçam a tendência de desenvolvimento e há compromisso de que venham a ser mais freqüentes”, comemora Ricardo Baitelo, coordenador da Campanha de Energia da ONG. O Greenpeace, no entanto, ainda faz ressalvas. “No casa da biomassa, ainda devem ser feitos ajustes de custo e transmissão para concretizar o seu potencial”, complementa Baitelo.

http://www.jornaldaenergia.com.br/ler_noticia.php?id_noticia=4372&id_secao=16&titulo_info=Greenpeace%20comemora%20resultado%20de%20leil%26otilde%3Bes%20de%20energia

Leilão de fontes alternativas: eólicas respondem por 90% do total contratado

31/08/2010

Parque eólico mais barato vende energia a R$130,43/MWh, contra recorde anterior de R$131/MWh

Por Luciano Costa, de São Paulo

Crédito: GettyImages

O leilão de fontes alternativas bateu novos recordes para a energia eólica no País. O certame contratou 714,3MW médios de energia, tendo as usinas de geração a partir do vento respondido por 90% desse montante. Entre os 56 vencedores, 50 eram parques eólicos, contra cinco pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e apenas uma térmica a biomassa. O preço da fonte também teve uma clara baixa: a usina mais cara entre as da fonte vendeu sua produção por R$137,99MWh. No primeiro leilão eólico realizado no País, em dezembro passado, o preço médio das usinas ficou em R$148MWh – uma diferença de 6,8%.

Os projetos que conseguiram oferecer o maior deságio foram as eólicas Pedra Preta e Costa Branca, ambas na região Nordeste, que conseguiram fechar o certame com lances de R$130,43 – 21,8% abaixo do teto, que era de R$167. Agora as usinas aparecem como os parque eólicos mais baratos do País, ultrapassando a usina de Coxilha Negra, da Eletrosul, que havia dado uma oferta de R$131/MWh no certame de dezembro do ano passado.

Entre os empreendimentos, destaca-se a Iberdrola, que negociou nove parques, somando 109,5MWmédios, e a Asa Branca, que vendeu a energia de oito módulos que totalizam 108,3MWmédios.
 

Governo mantém recusa da opção nuclear – Portugal

19/06/2010

O secretário de Estado da Energia, Carlos Zorrinho, reiterou hoje a posição do Governo de não considerar a energia nuclear para a estratégia do país, afirmando que “em 2020 mesmo com algumas centrais térmicas desactivadas não precisamos de inserir o nuclear”.

“Penso que esta aposta que estamos a fazer dispensará o nuclear após 2020”, disse Carlos Zorrinho na abertura do seminário “Mix energético”, promovido pela Associação Portuguesa de Energia (APE) para debater em especial a energia nuclear.

O presidente da APE, Jorge Cruz Morais, que é também é administrador da EDP, lembrou que “o crescimento dos consumos de energia traduz-se numa enorme pressão sobre os preços dos combustíveis fósseis” e que a análise do “mix” energético “pressupõe que se faça juízos de longo prazo”, porque “não há uma solução única”.

O secretário de Estado da Energia voltou a afirmar que o foco do Governo está nas fontes renováveis. “Temos sobre a política energética visões claras e opções sólidas. A opção nuclear não faz parte da nossa estratégia no horizonte de 2020 mas também não é um tabu”, disse Carlos Zorrinho.