Amorim explica à AIEA posição do País sobre programa nuclear do Irã

by

Agência Estado

Em meio a questionamentos internacionais com relação à posição do Brasil frente ao programa nuclear iraniano, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, reúne-se amanhã no Rio de Janeiro com o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano. Empossado em 1 de dezembro passado, Amano, que também visitará Uruguai e Argentina, ouvirá de Amorim uma explanação sobre a posição brasileira de defesa do direito do Irã usar a energia atômica para fins pacíficos. Uma visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Teerã, programada para maio, tem sido alvo de críticas da comunidade internacional, mas Lula tem dito que o Brasil deve se relacionar com quem quiser, sem prestar contas a outros países.

Na reunião seguida de almoço no Hotel Copacabana Palace, Amorim e Amano conversarão sobre “todos os assuntos que interessam o Brasil na AIEA”, disse fonte próxima ao Ministério das Relações Exteriores. Isso deverá incluir, além da questão iraniana, a posição do País em relação ao Protocolo Adicional ao Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP). O governo brasileiro assinou o TNP em 1998, mas se recusa a aderir ao Protocolo, que permite inspeções mais invasivas das instalações nucleares, inclusive de empresas privadas e pessoas envolvidas no programa nuclear, por considerar que expõe tecnologia sensível e viola a soberania. Em fóruns internacionais, o Brasil tem sido pressionado a assiná-lo, apesar de o programa brasileiro no setor ter fins pacíficos.

Amano visitou hoje as instalações das Indústrias Nucleares Brasileiras (INB) em Resende, no sul fluminense, onde é produzido combustível para alimentar as usinas de Angra 1 e Angra 2. Segundo testemunhas da visita, porém, não tocou no assunto Irã, nem fez perguntas fora da rotina. Depois de chegar de helicóptero por volta de 10h, assistiu apresentações da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), da Eletronuclear e da INB sobre o programa nuclear brasileiro e percorreu as fábricas. Na visita das 10h às 14h30, Amano pediu detalhes sobre procedimentos seguidos pela INB para conversão e enriquecimento do material nuclear. Os brasileiros consideraram a visita como rotina: outros diretores-gerais da AIEA já visitaram as instalações brasileiras no passado.

Nascido no Japão, Amano substituiu no posto o egípcio Mohammed El-Baradei. Graduado em direito pela Universidade de Tóquio, tem pós-graduações em Nice e Besançon, na França. Entrou para o Ministério das Relações Exteriores japonês em 1972 e exerceu vários cargos diplomáticos. Antes de assumir a direção da AIEA, foi representante permanente e embaixador extraordinário e plenipotenciário do Japão junto às organizações internacionais em Viena e também junto à AIEA.

 http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=23391&codp=76&codni=3

Anúncios

Tags: , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: